faaace
A noite desta sexta-feira, dia 7 de abril, será especial para muitos lutadores que pisarão no ringue do WGP Kickboxing para a primeira edição de 2017, mas um atleta em especial não esconde a ansiedade para concluir um ciclo que se iniciou há três anos. O paulista Hector Santiago encara Bruno Cerutti, na co-luta principal da noite valendo o cinturão peso-leve (até 60kg), para concretizar o sonho da conquista do título na organização que o formou como lutador. O evento tem início às 19h30 e será transmitido ao vivo pelo Canal Combate, Fox Sports e Bandports a partir das 22h.

Nascido e criado em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, Hector Santiago sempre foi um amante das artes marciais. Desde da admiração de criança pelo pugilista Mike Tyson em seus tempos áureos até a inspiração no kickboxer Andy Souwer já na fase adulta, Hector sempre teve o sangue das artes marciais correndo nas veias. Depois de começar no kung fu aos 10 anos de idade, ele conheceu o kickboxing ainda na adolescência e a paixão foi instantânea.

“Aos 13 anos me apaixonei pelo kickboxing e comecei a acompanhar o K-1. Aos 16 comecei a competir e ali vi que era isso o que queria para minha vida. No começo foi difícil, não tive a aceitação dos meus pais. Comecei perdendo e aí diminuiu ainda mais a aceitação. Mas depois que comecei a vencer, minha carreira foi sendo construída e eles passaram a me apoiar, hoje em dia eles torcem muito por mim”, afirma Santiago, para concluir sobre a expectativa de disputar o cinturão da categoria e a preparação para encarar Cerutti.

“Aos 21 anos estreei no WGP e coloquei na minha cabeça que seria campeão. Desde lá estou focado só nisso e hoje tenho a oportunidade de finalmente concluir a minha meta. A preparação está sendo a melhor possível, nunca me senti tão bem, estou no meu melhor momento. Sensação de conclusão de uma etapa mesmo, caminhei três anos duros até chegar nessa sexta-feira, e não vou desperdiçar a chance. E aí depois, tudo dando certo, daremos início a outra, manter o cinturão, expandir a carreira. Estou me sentindo orgulhoso desde já, gratidão por todos que estiveram ao meu lado e felicidade de estar chegando o momento tão sonhado”.

A sensação de disputar o tão sonhado título mexe com Hector, que garante ainda uma motivação extra para encarar Cerutti: o paulistano terá torcida em peso no ginásio do Morumbi. “Lutar perto de casa faz muita diferença, minha galera vai estar toda lá. Quem acompanha minhas lutas sabe que minha torcida sempre está comigo, recebo um carinho muito grande e isso me motiva demais”.

Amizade com adversário

Com um total de cinco lutas e cinco vitórias no WGP, Hector chega para disputar o cinturão de forma invicta. Sem ligar muito para o fato, o paulistano sabe que encontrará dificuldades do outro lado do ringue e revela uma longa amizade com o oponente Bruno Cerutti.

“O Bruno é um velho amigo meu, tenho uma admiração grande. Sempre torço por ele, mas dessa vez não poderei torcer. É um cara duro, que evoluiu muito nos últimos combates. Estou esperando o melhor dele, sei que ele vai vir superior as últimas lutas e vai me oferecer perigo o tempo todo, mas eu estou pronto. Esse cinturão vai ficar aqui em São Bernardo”, garante.

Se for campeão, Hector vai tomar o lugar de um antigo companheiro de treinos, o paulistano Paulinho Tebar, que abriu mão do cinturão para subir de divisão e encara Wilson Djavan em uma superluta na mesma noite. “Eu tive contato com o Tebar depois da decisão dele de subir de categoria. Acho que ele fez certo, estava o atrapalhando no rendimento e a longo prazo isso traria um prejuízo. Apoio 100% a decisão dele, mas acho que a categoria mesmo sem ele está bem complicada, vejo uma divisão cada vez mais difícil e mesmo ele saindo vou pegar outra pedreira que é o Bruno. Tem muita gente crescendo na categoria e me sinto na obrigação de me preparar mais e evoluir mais”, finaliza.