faaace

O WGP #39 do próximo dia 22 de julho, no Espírito Santo, será recheado de emoções e trará uma mescla de atletas estreantes com outros nomes que já bem conhecidos pelos fãs de Kickboxing. Como o paulistano Marcelo Dionisio, ex-desafiante ao título dos meio-médios (até 71,8kg) e que vai atrás de uma nova chance pelo cinturão ao participar novamente do Challenger GP da categoria. O adversário da semifinal é o mexicano Luis Castañeda, um atleta reconhecido no cenário do seu país e chega pela primeira vez ao Brasil com fome de vitória. A outra semifinal será disputada entre o brasileiro Weber ‘Shrek’ e o argentino Sebastian Martino. A luta principal da noite do WGP #39 entre a capixaba e anfitriãBarbara Nepomuceno diante da paranaense Val Stanski.

Natural de São Paulo capital, Dionísio nunca teve uma vida fácil no esporte. Treinado por Tadeu San Martino, um dos grandes nomes do Kickboxing nacional, ele terá uma nova chance de lutar pelo título da categoria dos meio-médios. Na sua última participação no WGP, em abril deste ano, ele foi derrotado pelo atual campeão Ravy Brunow, mas fez uma luta muito dura e poderia ter saído com o resultado positivo. Para a nova participação no GP ele foi chamado em cima da hora e encara a situação como um recomeço na briga pelo cinturão.

“Fui chamado de última hora, mas estou sempre treinando, então não tem problema. Só dei uma focada maior e um gás nesse final. Estou fazendo bastante sparring e uma preparação física diferente. Faço crossfit e estou firme na pegada, correndo, treinando muito. A motivação é por ter uma oportunidade a mais. Na luta contra o Ravy eu estava em uma situação pior porque tinha passado por uma cirurgia e mesmo assim consegui lutar. Dessa vez estou bem e inteiro. É sempre um aprendizado. Tento sempre corrigir os erros e estou conseguindo a cada luta que passa”, afirma Dionísio.

Aos 28 anos, o paulistano tem uma carreira consolidada no Kickboxing. Com um total de 23 lutas na carreira ele soma 17 vitórias e apenas seis derrotas. Antes de encarar Ravy Brunow, Dionísio venceu a outra edição do Challenger GP da categoria, inclusive derrotando Weber ‘Shrek’ que dessa vez está na outra semifinal. O primeiro adversário é o mexicano Luis Castañeda, que ele afirma conhecer pouco.

“Vou lutar com um atleta novo. Não conheço pessoalmente, mas já vi uns vídeos dele na internet.  Ele é bem duro e rápido. Ele é completo, chuta e soca bem. Os mexicanos são bons no boxe e ele bate duro e rápido. A estratégia é ir para cima. É diferente porque nunca lutei com um mexicano, mas vou usar minha estratégia que é ir sempre para cima e na pancadaria mesmo”, confia.

Aos 31 anos, o mexicano da capital Luis Castañeda não só vai fazer sua estreia no WGP como vai ser a primeira vez que virá ao Brasil. Muito reconhecido em seu país ele carrega consigo números de respeito. Já foram 59 lutas disputadas, com 40 triunfos, 17 reveses e dois empates. E ele admite não conhecer muito dos adversários que pode enfrentar, mas coloca em mente a estratégia para atuar bem nos dois duelos e conseguir a chance pelo cinturão da categoria.

“Não conheço nenhum dos adversários e para falar a verdade nem sei quem vou enfrentar primeiro. Estamos acostumados a trabalhar para encarar qualquer lutador que vier pela frente. As fraquezas só vamos descobrir na luta. A ideia é fazer uma luta técnica e mais inteligente para não ter nenhuma lesão para a luta final. É a minha primeira vez no Brasil e isso me emociona muito. É um país reconhecido mundialmente por ter os melhores eventos e lutadores de artes marciais, além de outros esportes de contato”, conta.

A expectativa de estrear no Brasil vem junto com a pressão por lutar fora de casa. Apesar de já ter passado por situações semelhantes, Luis não espera muito apoio do público brasileiro, mas só pensa em ter uma boia atuação e ser reconhecido.

“Já lutei fora de casa outras vezes e isso em deixa muito nervoso. Mesmo assim, tento usar como uma motivação a mais e usar toda a minha força durante a luta. Continuo motivado. Eu estou muito feliz e muito animado por participar do WGP, uma vez que é um dos eventos de maior prestígio do nosso continente. Muitos amigos meus do México e de outros países também estão muito felizes por essa oportunidade que estão me dando. Todos eles estão com uma grande expectativa para o evento. Eu me sinto muito grato e vou me empenhar para dar um bom show”, finaliza.