faaace
A luta principal do WGP #41, que será realizado em São Paulo, no ginásio do Esporte Clube Sírio, neste sábado, dia 21 de outubro, vem dando o que falar. Paulo Tebar, atual campeão dos super-leves (até 64,5kg) e um dos únicos – ao lado de Guto Inocente – a conquistar cinturões em duas divisões distintas do WGP Kickboxing  encara o desafiante Jordan Kranio, que venceu o Challenger GP de forma avassaladora. E Tebar se mostrou tranquilo em relação a primeira defesa, mostrou respeito com Kranio e festejou o duelo em casa.

Tebar é um velho conhecido do WGP Kickboxing. Nascido e criado na capital paulista, o lutador de 27 anos fez seu primeiro duelo no evento logo nas primeiras edições, em 2012. De lá pra cá foram outras sete lutas, com apenas uma derrota. Nesse meio tempo ele conquistou o cinturão dos leves (até 60kg) e se manteve soberano na categoria. No início deste ano, Tebar subiu para a categoria dos super-leves. Agora, depois da conquista diante de Guilherme Sanchos no WGP #38, ele tem o desafio da primeira defesa de título e se mostra confiante.

“Estou tendo a melhor preparação possível. Todas as lutas encaro da mesma forma, sem a expectativa de defender cinturão ou não e sim uma luta como todas as outras. Espero dar o meu melhor, estarei na minha cidade, perto dos meus amigos e da minha família. Não que isso influencie na hora da luta, mas me sinto mais confortável estando em casa. E também não me pressiona, sempre procuro me motivar para dar meu melhor, então estar em São Paulo é total motivação”, afirma Tebar

Com a conquista sobre Sanchos, Tebar se tornou o segundo atleta – ao lado de Guto Inocente -, a conquistar títulos em duas categorias distintas do WGP. O próximo passo é defendê-lo pela primeira vez, mas ele terá pela frente um adversário que impressionou todo mundo ao conquistar o GP de forma avassaladora. Tebar falou sobre o que sabe sobre seu rival.

“Não conheço muito ele, vi algumas lutas só, acho que oferece mais perigo no início dos rounds, mas se eu vacilar ele pode oferecer perigo a qualquer momento. Acho que vai vir com vontade como qualquer outro adversário, mas eu também estou muito motivado. Não penso em controlar a pressão que ele vier a impor, estou tranquilo, fazer meu jogo e botar em prática a estratégia que estamos montando”, garante.

Além da luta principal, o Challenger GP da categoria agita o WGP #41. Com dois duelos entre Brasil e Argentina, o vencedor será  o próximo desafiante ao título. Em uma semifinal o paulista Wilson Djavan encara o hermano Nicolas Vega. Já na outra chave o carioca Vitor Oristanio enfrenta o argentino Bruno Mangiavillano. Outro destaque desta edição é a superluta internacional pelos pesos pesados entre Haime Morais e o paraguaio Carlos Meza.