anderson-buzika3

Uma das principais atrações do WGP #42, que acontece neste domingo, dia 12 de novembro, em Bragança Paulista (SP) é o confronto entre Anderson Buzika e Bruno Gazani, dois dos melhores lutadores do país na divisão dos meio-médios (até 71,8kg). E para apimentar ainda mais, o duelo se trata de uma revanche, já que Gazani venceu Buzika no WGP #17, realizado há quatro anos. E Buzika terá motivação de sobra para devolver a derrota já que estará lutando em casa, com o apoio dos amigos, familiares e companheiros de treino. A noite reserva ainda a disputa de cinturão peso-super-médio (até 78,1kg) entre o campeão Diego Gaúcho e o desafiante Rodolfo Cavalo.

Anderson Buzika é daqueles lutadores com estilo irreverente, adepto do ‘trash talk’ e muito explosivo dentro do ringue. Aos 27 anos, o paulista de Bragança está no esporte desde os 13 e sempre nutriu um sonho de ser um lutador profissional. Neste domingo ele terá a chance de se apresentar dentro de casa, sob olhar dos amigos e familiares e se mostra confiante em vencer Bruno Gazani, um dos melhores atletas do cenário nacional.

“Na época em que enfrentei o Gazani no WGP era bastante inexperiente, era minha segunda luta profissional e ele já tinha quase 50 lutas. Mas foi muito bom para mim porque eu vi o quanto era bom com apenas duas lutas. Hoje sei que só depende de mim para escrever uma nova história. E Bragança vai ser o meu campo de guerra, as minhas regras, meu jogo, minha luta. Espero ter minha melhor atuação do ano em casa contando com apoio dos meus familiares, alunos e o Brasil todo que curte meu estilo de luta”, confia.

No WGP Buzika possui um retrospecto de seis vitórias e uma derrota, justamente para Gazani. Na carreira são 17 lutas disputadas e 15 vitórias. Se bater o rival, Buzika pode ter uma chance pelo cinturão do WGP diante de Ravy Brunow. Gostinho que ele chegou a sentir no ano passado, ao faturar o título interino dos super-leves (categoria abaixo), mas acabou ficando sem posto por não ter batido o peso no duelo diante de Guilherme Sanchos. A partir daí tomou a decisão de subir de categoria.

“Quando fui para os super-leves bati em todo mundo que figurava entre os tops da categoria. Agora chegou minha hora na divisão de cima. Meu objetivo é passar pelo Gazani e enfrentar o Ravy, que é um cara que tem um jogo explosivo e brigador. Para ganhar dele é preciso ter um gás muito bom para manter os cinco rounds no ritmo forte. Mas o resto do segredo para vencê-lo eu só conto quando chegar lá e lutar com ele”, finaliza.

O WGP #42 conta ainda com a disputa de cinturão dos super-médios (até 78,1kg) entre o anfitrião Diego Gaúcho e o desafiante Rodolfo Cavalo na luta principal da noite. Thiago Golden Boy e o chileno Victor Valenzuela fazem o outro combate internacional no card principal que conta com outros sete duelos.