diego-freiria

O card de lutas do WGP #42, que acontece em Bragança Paulista (SP) no próximo dia 12 de novembro vem dando o que falar. Em uma noite de disputa de cinturão, grandes confrontos e superlutas internacionais um embate chama atenção. O argentino Diego Freiria mede forças com o brasileiro Robson Minotinho em um confronto de gerações. Enquanto Freiria aposta na experiência dos seus 35 anos de idade, Minotinho, de 24 anos, tem a chance de fazer sua primeira luta internacional no WGP. O argentino faz a sua estreia no Brasil e vê a luta fora de casa como um fator motivacional a mais para sair vitorioso.

Nascido e criado na capital Buenos Aires, Freiria não é um daquele casos que carregam as artes marciais desde a infância. O atleta só conheceu o kickboxing aos 22 anos de idade. Apesar da restrição no início com a possibilidade de tomar pancadas, Diego foi se apaixonando pelo esporte e engatou na carreira profissional. Na Argentina ele soma os títulos de campeão nacional em diferentes categorias. E sua a estreia no Brasil e no WGP já poderia ter acontecido antes e não fossem as lesões.

“Essa estreia o WGP estava sendo muito aguardada. Já havia sido chamado três vezes e por causa de uma lesão na mão eu tive que adiar. É a primeira vez que estarei no Brasil para lutar e a expectativa é a melhor possível. Espero dar um show e mostrar todo meu potencial”, afirma.

Aos 35 anos, Freiria não soma um currículo tão grande como sua idade pressupõe. Foram nove lutas profissionais com oito vitórias e apenas uma derrota. O bom aproveitamento o credenciou para a disputa com Robson Minotinho, 11 anos mais novo. Segundo Freiria, a idade não faz diferença e disse ainda que carrega uma motivação a mais por lutar com a torcida contra.

“Sobre o meu oponente eu sei que ele é um lutador forte e nocauteador. Então vai ser uma luta muito difícil. Estar na posição de visitante é sempre complicado, mas a luta acontece em cima do ringue e não fora dele. Uma vez que você está lá, não há ninguém a não ser seu rival. É motivador lutar com a pressão contra porque sempre exige um pouco mais de você. Aposto em um grande show”, finaliza.

O WGP #42 conta ainda com a disputa de cinturão dos super-médios (até 78,1kg) entre o anfitrião Diego Gaúcho e o desafiante Rodolfo Cavalo na luta principal da noite. Outro confronto que promete colocar fogo no ginásio é o co-main event entre dois dos melhores atletas da categoria dos meio-médios: Bruno Gazani e Anderson Buzika. Thiago Golden Boy e o chileno Victor Valenzuela fazem o outro combate internacional da noite.