faaace

Cesar Almeida entrou no ringue do WGP pela última vez na edição 36, em abril de 2017, quando venceu o paraguaio Marcelo ‘Perro Loco’ por decisão unânime dos árbitros. Logo depois, uma lesão no joelho o forçou a passar longo período em recuperação e acompanhar os demais eventos da temporada apenas como espectador, um grande e indesejado martírio para qualquer lutador em atividade.

O tempo passou, e como em toda história esportiva de superação, a volta à ativa carrega todos os fatores passionais potencializados.

No WGP 46 que acontece dia 18 de maio, no Ginásio Mauro Pinheiro, em São Paulo, o atleta paulista começa correr atrás do tempo perdido com objetivo de, em breve, mais uma vez se tornar um dos contenders mais temidos da categoria cruzador (até 85k.1g).

Na entrevista abaixo, o atleta falou sobre planos, o descanso forçado e se a trilogia clássica com o atual campeão do categoria Alex Pereira ainda pode ter novos capítulos.


WGP – Um ano fora das competições é bastante tempo para refletir. Como enxerga o cenário atual do WGP neste retorno?

Cesar Almeida – Estive em alguns eventos e acho que o WGP evoluiu bastante em todos os sentidos. Do lado de fora dá para ter outra visão de como a coisa funciona, em produção e nível técnico. Agora também temos atletas lutando fora do País com mais regularidade, e isso é muito positivo para os lutadores e a organização em geral.

Precisou adaptar muita coisa nos treinos em virtude da lesão?

Foi um período de muitas mudanças, não apenas nos treinamentos, mas também na rotina, com meu retorno para São Paulo e a entrada na equipe do Corinthians. Mas pode ter certeza que as características que os fãs mais gostam no meu jogo estarão todas presentes no dia 18 de maio. Intactas e cada vez mais letais.

Como avalia o estilo do Novak e como vê o desafio entre vocês?

Ele é um kickboxer completo. Será uma luta bonita de ver.

Muita gente analisa você como o brasileiro que mais usa o estilo europeu de kickboxing no ringue. Concorda? O que mais te atrai nesse tipo de sistema?

Também vejo dessa forma. Cresci moldando meu estilo com os combates da época de ouro do K-1, quando os holandeses predominavam. Posteriormente, passei um período muito rico de aprendizado por lá (Holanda), onde absorvi muita coisa. As combinações bem trabalhadas e a ‘briga’ intensa no infight (curta distância) desta escola me fascinam muito.

Você ainda tem ‘contas a acertar’ com o Alex Pereira?

Por hora não tenho pensado nisso. Preciso pegar ritmo e me tornar competitivo de novo em alto nível. Tenho de me focar por etapas para não cometer nenhum erro. Mais para frente dá para voltar a pensar nessa ‘briga’ novamente.

Mas acredita que rivalidade clássica entre vocês ainda pode dar pano pra manga?

Ter isso na mente serve como ótima fonte de motivação, afinal de contas foram três batalhas contra o Alex que entraram para a história. Quem sabe em um futuro próximo essa guerra possa ter um novo capítulo.

E os planos para o restante do ano?

Quero competir o máximo que conseguir e recuperar o tempo perdido. Chega de descanso!


SERVIÇO

WGP #46: Diego Gaúcho x Ravy Brunow
Data: 18/5/2018
Local: Ginásio Mauro Pinheiro: Rua Abílio Soares, 1300, São Paulo – SP
Transmissão AO VIVO: Bandsports, FoxSports e Combate
Horário: A partir das 19h

CARD PRINCIPAL

WGP Super Middleweight Title Bout
Peso Super-Médio (até 78.1kg)
Diego Gaúcho x Ravy Brunow

WGP Lightweight Title Bout
Peso-Leve (até 60kg)
Hector Santiago (BRA) x Facu Suarez (ARG)

Pan-American Title Fight W.A.K.O.
Categoria até 53kg feminino
Lailane Mota (BRA) x Jacqueline Ayala (CHL)

Super Middleweight GP – Final
Peso Super-médio (até 78.1kg)
Vencedor Semi 1 x Vencedor Semi 2

Super Middleweight GP – Semifinal 1
Peso Super-médio (até 78.1kg)
Rodolfo ‘Cavalo’ x Jonas Júlio

Super Middleweight GP – Semifinal 2
Peso Super-médio (até 78.1kg)
Alex Canguru x Thiago ‘Golden Boy’ Conceição

Super Fight
Peso Cruzador (até 85.1kg)
Cesar Almeida x Nattan Novak

Super Fight
Peso super-médio (até 78.1kg)
Patrick Furtado x Thiago Paulista

Super Fight
Peso Super-Leve (até 64.5kg)
Stevens Suarez (COL) x Jonathan Ferreira (BRA)