arte-gp-nota-2

Uma das grandes atrações do WGP #48, que acontece em Buenos Aires, no próximo dia 24 de agosto, é, sem dúvida, a disputa do Challenger GP dos leves. Com representantes de três países distintos, o torneio dá ao vencedor a chance de encarar o campeão da categoria Hector Santiago. E em uma das semifinais os protagonistas vivem momentos distintos da carreira. De um lado está a experiência de Ignacio Capllonch, que vai em busca da revanche diante de Hector, enquanto do outro está a juventude da promessa boliviana Renzo Martinez, que tenta chegar ao topo do ranking pela primeira vez.

Capllonch exalta preparação e prega respeito aos adversários
Aos 31 anos e com mais de 70 lutas disputadas na carreira, Ignacio Capllonch é considerado um dos melhores kickboxers argentinos. Natural de Buenos Aires, local do evento, o lutador estará em casa novamente. Na última vez que se apresentou diante dos amigos e familiares foi no main event do WGP #43, quando foi derrotado pelo campeão da categoria Hector Santiago. Agora, no Challenger GP, ele busca o título para ganhar uma nova chance pelo cinturão de Hector.

“As expectativas para este WGP são muito boas. Eu fui capaz de treinar desde o primeiro dia que soube da luta e isso é muito importante para mim, poder treinar com uma cabeça calma e ter tempo para trabalhar. Desta vez eu pude treinar apenas com este desafio em mente, sem pensar em mais nada. Então, claro, será o destino que escolhe o vencedor, mas eu chego melhor preparado”, afirma El Misil, como é conhecido.

Ignacio falou também sobre ser considerado favorito a vencer o GP e conseguir a esperada revanche diante do campeão. “Acho que vai ser um GP difícil, favoritismo não entra no ringue. Já vi o Renzo lutar, sei que ele tem um bom controle de perna, mas acho que vou ganhar. Para a final, espero o melhor e, em seguida, vamos ver no ringue quem é mais focado e quem tem mais vontade de vencer”, completa.

Renzo Martinez promete deixar tudo no ringue
Do outro lado do ringue estará o boliviano Renzo Martinez. Aos 21 anos, ele é um dos atletas mais novos do evento, mas já possui grandes feitos no WGP como o nocaute relâmpago sobre Gustavo Piacentini que ficou marcado na história do evento. Natural de Santa Cruz de La Sierra, Martinez mostrou a confiança de um veterano quando questionado sobre a dificuldade de um Challenger GP na argentina, diante de nomes experientes e com a força da torcida.

“Eu não estou indo para Buenos Aires para participar, eu vou ganhar. Não sinto nenhum tipo de pressão por lutar na casa do meu adversário, eu ganhei no WGP na Argentina em 2017 e eles viram que em nenhum momento fiquei nervoso. Estou acostumado a lutar longe de casa e minhas maiores conquistas foram como visitante”, confia Martinez.

A jovem promessa falou ainda sobre a pressão de encarar logo de cara o favorito ao título do GP. “Eu conheço mais os dois argentinos. O Ignacio é, sem dúvida, o mais reconhecido e experiente. Acho que é um lutador completo, mas também conheço suas fraquezas e farei minha luta da melhor maneira. O vencedor da outra semifinal será Facu na minha opinião. Ele é um lutador muito explosivo e vem de uma grande luta contra Hector Santiago. Eu vou me encontrar na final contra Facu Suarez”, completa o boliviano confiante.