faaace

A próxima edição do WGP Kickboxing vem dando o que falar. Com um card recheado de estrelas para festejar o show de número 50 no próximo dia 27, em São Bernardo do Campo, o evento pode coroar um velho conhecido da organização. O paulistano Cesar Almeida, conhecido com Cesinha, terá a chance de se sagrar campeão dos cruzadores (até 85,1kg) diante do argentino Lucas Alsina, após o campeão Alex Pereira abrir mão do título. Presentes desde as primeiras edições do WGP, Cesinha tem longa estrada percorrido evento e ter a chance de conquistar o cinturão diante de seus amigos e familiares é a maior motivação do atleta.

Aos 30 anos, Cesinha tem longa trajetória no kickboxing profissional. Paulistano da capital, o lutador soma 42 duelos já realizados, com a incrível marca de 36 vitórias, sendo 22 nocautes. Conhecido pela agressividade dentro do ringue, Cesinha fez sua estreia no WGP na longínqua sexta edição, em 2012. Desde então foram 16 lutas e apenas quatros derrotas. O lutador ficou marcado por protagonizar grandes batalhas no WGP com o agora ex-campeão Alex Pereira, tendo vencido em uma oportunidade e sido derrotado em outras duas. E mesmo com tanta história para contar ele não esconde que essa é a luta mais importante da sua vida.

“Sem dúvida é a luta mais importante da minha vida até o momento, pra manter o cinturão aqui no Brasil preciso estar em um nível de concentração altíssimo. Sei das qualidades do meu oponente e qualquer bobeada posso deixar o cinturão escorrer pelas mãos. Então é foco total, preparação forte e espero sair com o braço erguido no final para poder comemorar com minha família e meus amigos que estarão presentes”, projeta.

Cesinha já estava escalado para lutar no WGP #50, mas com a notícia de que Alex Pereira teria aberto mão do cinturão, a organização tratou de convidá-lo para disputar o cinturão, mais que merecido, diante de Lucas Alsina. E ele falou sobre como recebeu a notícia, entre outros temas. Veja abaixo a entrevista completa.

Chamada para luta pelo título
Recebi o convite há mais ou menos um mês atrás. Confesso que apesar de toda a minha história no WGP fui sim pego surpresa, apesar de saber que essa situação do Alex abrir mão do título poderia acontecer cedo ou tarde. A oportunidade de lutar pelo cinturão ninguém esperava mesmo, mas foi uma benção e tenho certeza que vou aproveitar da melhor forma possível. Estou atrás disso há muito tempo e acho que chegou minha hora.

Preparação
Sempre me preparo muito bem, ritmo forte e intensidade total. Dessa vez não está sendo diferente, só fiz algumas adaptações, principalmente na parte física e com meu mental coach. Mas tenho certeza que a cabeça e o corpo vão estar alinhados no dia 27 para eu sair vitorioso e com o título na cintura.

Momento da carreira
Sinto que estou pronto para ser campeão. Todo mundo sabe da minha trajetória no WGP, tive alguns percalços, mas venci muito mais que perdi, mostrei do que sou capaz e essa disputa de título é um reconhecimento. Aos 30 anos estou me sentindo muito bem, e acho que essa é a minha hora. Li que o Alex disse que ia torcer por mim, então aproveito para agradecer e dizer que vou fazer de tudo para manter esse cinturão aqui no Brasil.

Lucas Alsina
Confesso que conheço pouco do Lucas. Mas vou procurar ver as lutas dele no WGP para conhecê-lo um pouco mais. O que posso dizer é que todos os atletas podem oferecer perigo, no WGP estão os melhores da América Latina e tenho certeza que agora não vai ser diferente, vai ser uma luta linda e dura. Não espero menos do que isso.

Presença da família e amigos
Quando digo que essa luta tem muita coisa em jogo falo sobre isso. Eu luto pela minha família e pelos meus amigos. Em casa ou fora eles sempre estão comigo, mas a energia de ter a presença física deles com certeza é um fator a mais. Posso dizer que não luto sozinho, carrego as pessoas que eu gosto sempre na minha luta diária. Amo minha família, meus amigos, meu time e lá em cima do ringue é tudo por eles.