faaace
A estreia do WGP Kickboxing em Joinville, Santa Catarina, promete grandes emoções. Em um card marcado pelo retorno de Vitor Miranda a trocação e por disputas de título interino feminino do WGP e brasileiro de kickboxing, o público ainda verá duelo eletrizantes nas Superfights da edição 52 no próximo dia 16 de dezembro. E uma delas vem dando o que falar. Pela divisão dos super-médios (até 78,1kg), Thiago Golden Boy encara o ex-desafiante ao cinturão, Rodolfo Cavalo. Quem vencer o duelo soma um passo importante na busca pelo título da categoria diante do campeão Diego Gaúcho, último algoz de Cavalo.

Natural da pequena Poá, o paulista Rodolfo Cavalo chega para esse duelo mirando retomar um caminho que conquistou recentemente. Fã de Mike Tyson, o lutador é especialista no boxe e chega com a moral de ter sido o último desafiante da categoria. Seus dois últimos duelos no WGP foram diante do campeão Diego Gaúcho. No primeiro, na edição 42, em uma luta muito equilibrada ele acabou deixando o cinturão escapar após um empate, já na segunda luta, no WGP #46, ele sucumbiu a potência de Gaúcho e acabou nocauteado. Para o duelo com Golden Boy ele promete um final diferente.

“A preparação não para, estou bem bem confiante. Sei que vou lutar com um grande atleta, ajustamos algumas coisas no treino já que cada luta é diferente. Na categoria tem bastante gente boa, mas quero reconquistar meu espaço. Sinto que evoluí muito de um tempo pra cá, tanto tecnicamente como mentalmente. Acho que to mais pronto para esse cinturão e o primeiro passo vai ser no dia 16”, afirma.

Aos 24 anos ele vai em busca da sua 26ª vitória em 32 lutas na carreira. No WGP, Cavalo soma quatro vitórias e perdeu apenas para campeões. Além de Gaúcho, ele foi derrotado por Cesinha Almeida, campeão dos cruzadores (até 85,1kg). Diante de Golden Boy ele terá a chance de provar que pode voltar a brigar pelo posto de número um da categoria. “O Golden boy é um cara top, somos amigos. Um cara duro e forte. A luta é uma caixinha de surpresa e nessa ambos oferecem perigos um ao outro. Fico feliz também de lutar no primeiro evento em Joinville, nunca estive lá. Posso garantir um show para a galera. Desejo sucesso ao Vitor Miranda nesse retorno dele a trocação também”, finaliza.

Golden Boy busca manter bom retrospecto no WGP
Do outro lado do ringue estará o paulistano Thiago Conceição, mais conhecido como Golden Boy (menino de ouro). Aos 27 anos, o já não tão menino assim soma experiência de sobra quando o assunto é o WGP. Com dez lutas realizadas na organização, ele soma apenas três reveses, um deles para Alex Canguru, na edição 46, última vez que atuou no evento. Diante de Cavalo, Thiago tem a grande chance de se reposicionar entre os melhores da categoria, já que encara o último desafiante ao título da divisão. E ele não espera nada menos que uma verdadeira batalha.

“Minha preparação é muito intensa sempre. Sei também desde de o amador que o ringue pega fogo quando estamos lá dentro, então nada melhor que estar preparado sempre. Recebi a luta de última hora, mas estou sempre pronto para a batalha. O Rodolfo Cavalo é um boxeador nato e eu também tenho a mesma linha de luta com a mão. Porém, eu tenho um kickboxing afiado, sou completo e vou provar isso. Temos uma amizade que fizemos no decorrer dos eventos e o respeito muito. Porém luta é luta, vou dar meu melhor e sei que ele também”, afirma.

O lutador, que soma 17 vitórias em 20 lutas na carreira, falou ainda sobre a experiência de atuar no card final do WGP em 2018 com um nome consagrado como Vitor Miranda na luta principal. “Sem sombras de dúvidas será um show para o público presente e telespectadores. O evento Joinville será top, nunca fui, será uma oportunidade de conhecer, temos parentes em Floripa por parte da minha esposa. Acredito que vamos passar o final do ano lá. Referente ao Vitor Miranda, ele é um dos melhores kickboxers do Brasil, sem dúvidas. Adaptou isso ao MMA e está de volta às suas raízes. Será um privilégio poder encontrá-lo nos vestiários e assistir de perto essa lenda lutar”, encerra.