faaace

A contagem regressiva para a primeira edição do WGP Kickboxing em 2019 vai chegando ao fim. A pouco menos de um semana do evento, que acontece no próximo dia 6 de abril, em São Bernardo do Campo, as expectativas só aumentam. E entre as três disputas de cinturão da noite, uma vem dando o que falar há algum tempo. O duelo pelo título dos super-médios entre Diego Gaúcho e Jonas Salsicha era para ter acontecido em 2018, mas por problemas particulares do campeão Gaúcho acabou sendo adiado. Agora, a poucos dias do evento, o paulista abriu o jogo e falou sobre as expectativas e o motivo do adiamento. E sobrou até uma alfinetada no rival Salsicha.

Aos 32 anos, Diego Silva, conhecido pelo apelido de Gaúcho pela habilidade no manuseio das carnes quando trabalhou no açougue de seu tio, tem uma vasta história no WGP. Com apenas uma derrota em 12 lutas disputadas, ele é um dos atletas com melhor aproveitamento no evento. Outro dado que chama atenção do paulistano radicado em Bragança Paulista é o seu poder de nocaute. Na carreira foram 33 das 76 vitórias via KO, um número de quase 50%, considerado alto.

Mas a fama de nocauteador tem o lado negativo, que Gaúcho sabe que precisa melhorar depois de quase deixar o escapar o cinturão em seu último duelo diante de Rodolfo Cavalo, em que conseguiu o nocaute no último round após perder os demais assaltos. “O segredo de conseguir mais um nocaute é treinar pensando nele e ir busca na hora da luta de qualquer jeito. Mas sei que preciso melhorar minha agressividade. Acho que bato muito pouco, confiando no KO. E sei que se não acontecer posso acabar perdendo. Então foi exatamente isso que focamos no camp para essa luta, procurar colocar mais volume também”, afirma.

Durante o ano de 2018, Gaúcho passou por uma fase complicada. Infeliz e sem vontade de continuar lutando ele precisou ficar parado um tempo e por conta disso, seu duelo pelo cinturão da categoria com Jonas Salsicha acabou sendo adiado, o que rendeu alguns comentário na época por parte do desafiante. E Gaúcho não deixou barato.

“Fiquei sem lutar não só no WGP. Não sei o que aconteceu, mas eu não queria mais lutar, tava irritado com tudo e sem vontade de fazer nada. Fiz minha última luta no Contender Series e perdi por pontos. Mas agora estou bem, pronto para defender meu título. Acho que o Salsicha não me oferece perigo. Vai ser questão de tempo até achar a distância. Eu vou tranquilo para essa luta, ele que tem que segurar a bronca de tudo o que falou sobre mim. Agora vai ter a luta e vou pra guerra”, garante.

Gaúcho, que mora em Bragança Paulista, falou também sobre a expectativa de atuar perto de casa mais uma vez. “Gosto muito de lutar em São Paulo, consigo levar minha galera para torcer e fazer uma bagunça lã. Meus alunos, amigos e família estarão lá e é muito importante tê-los por perto. Me dá um gás extra na luta ouvindo eles gritarem”, encerra.