faaace

A primeira edição do WGP Kickboxing em 2019 entrou para a história. O clichê se faz necessário diante de uma noite com nocautes avassaladores, novo e velhos campeões coroados e lutas eletrizantes que levantaram o público em São Bernardo do Campo na noite do último dia 6 de abril. E um dos destaque foi Jonas Salsicha, novo campeão dos super-médios ao destronar Diego Gaúcho com uma atuação dominante e até certo ponto surpreendente. Alguns dias depois ele falou sobre o duelo e a sensação de ser o campeão, além de um possível embate com Ravy Brunow, ex-campeão da categoria abaixo.

Jonas Salsicha chegou muito confiante para duelo pelo cinturão. Aos 24 anos, o lutador de Cidade Tiradentes, em São Paulo, ganhou a chance de disputar o título após vencer o Challenger GP e chegou ao combate com Gaúcho invicto em quatro lutas no WGP. E dentro do ringue o que se viu foi um desafiante com postura de campeão. Muito a vontade, Salsicha dominou os cinco rounds, não deu brecha para o adversário tirar o famoso nocaute da cartola e conectou os melhores golpes do início ao fim. Uma estratégia muito bem pensada, segundo ele.

“Eu me senti bem confortável na luta em si, percebi que o trabalho e a estratégia foram bem feitas pelos meus treinadores. A ideia era controlar bem a distância, ser bem agressivo nos golpes e não permitir essa aproximação para uma trocação mais franca com o Gaúcho, principalmente nos dois primeiro rounds”, afirmou, para completa sobre a sensação de ser campeão do WGP. “A sensação de ser campeão é incrível, simplesmente um sonho realizado. Em relação a torcida, sem palavras para descrever, realmente foi um show à parte”, garante.

Outro diferencial do combate foi a expectativa em torno dele. Isso porque a luta era para ter acontecido em 2018, mas por problemas pessoais de Gaúcho teve que ser adiada. E essa espera foi positiva segundo o novo campeão. Ele exaltou ainda a importância de um intercâmbio feito com alguns campeões do WGP.

“O tempo para estudar o estilo de jogo dele foi importante, já estava preparado para essa luta desde 2018 e só continuei focado porque sabia que iria acontecer uma hora ou outra. Fiz um intercâmbio de altíssimo nível com os melhores do cenário nacional, Gazani, Piovesan, Micheletti, Cesinha, Cavalo. Isso me deu uma confiança gigantesca para essa luta”.

E apesar de ainda estar festejando a nova conquista, Salsicha já pensa nos próximos passos. E os planos passaram por um ex-campeão do WGP. “Meu plano é manter o cinturão independente do adversário, mas admito que uma luta contra o Ravy seria interessante para ambos. Assim como o Gaúcho, o Ravy vem a muito tempo dominando o cenário. Também sei que tem o GP e por isso vou estar preparado para qualquer situação”, finaliza.