resultados-oficiais

Edição desta sexta-feira, em Santiago, no Chile, coroou Cesinha Almeida, que empatou com o anfitrião Ivan Galaz e manteve o título; Valenzuela bate Ravy Brunow na final e leva Challenger GP

A 54ª edição do WGP Kickboxing tinha todos os ingredientes para entrar para a história do evento. E as expectativas se concretizaram. Pela primeira vez no Chile, mais precisamente na capital Santiago, o evento coroou Cesinha Almeida, que fez uma grande batalha diante do anfitrião Ivan Galaz na noite desta sexta-feira, dia 24, e manteve o título dos cruzadores (até 85,1kg) após um empate anotado pelos juízes laterais. Outro destaque foi a conquista do Challenger GP dos super-médios (78,1kg) por Victor Valenzuela, que bateu Joans Lorca na semifinal e o ex-campeão dos meio-médios Ravy Brunow na final, se garantindo como próximo desafiante da categoria diante do campeão Jonas Salsicha. Patricio Navarrete e Facu Suarez foram outros vencedores do card principal da noite.

O main event do WGP 54 prometia muita emoção. Cesinha Almeida e Ivan Galaz começaram se estudando muito, com os dois alternando bons golpes. A luta prosseguiu com Ivan preferindo o boxe, já Cesinha usava mais os chutes, principalmente os low kicks. No segundo e terceiro rounds Ivan pareceu sentir o gás, enquanto Cesinha mantinha o mesmo ritmo e levava a melhor. Na parte final do duelo, Cesinha aumentou a pressão, mas Galaz se defendeu bem e conseguiu trabalhar bem o boxe para conectar bons golpes. Ivan ainda tentou o gás final no round derradeiro, mas já era tarde e Cesinha manteve o título dos cruzadores em pleno território chileno após um empate dado pelos juízes.

O Challenger GP dos super-médios também foi outra grande atração da noite. Enquanto Ravy Brunow não teve problemas para despachar Guillermo Benitez por nocaute no round inicial em uma das semifinais, Victor Valenzuela fez o mesmo com o compatriota Joans Lorca, porém no segundo assalto. Na grande final, Victor e Ravy começaram em um ritmo frenético. Valenzuela impôs uma pressão inicial e faturou o primeiro round, enquanto Ravy se recuperou bem e levou o segundo. O terceiro assalto foi de decisão e trocação franca, com os dois atletas dando tudo de si e levantando a torcida chilena. No fim, contou a maior contundência de Valenzuela, que venceu o duelo por decisão unânime e conquistou a chance de encarar Jonas Salsicha pelo título dos super-médios.

Outros dois duelos muito aguardados vieram das batalhas entre argentinos e chilenos. Enquanto Patricio Navarrete não precisou de mais um round para nocautear Nicolas Ryske com potentes low kicks, o pupilo de Ryske, Facu Suarez, acabou levando a melhor sobre Felipe Artillero em uma luta muito empolgante e que levantou o público presente. Já nas Superfights da noite os destaques foram os brasileiros Iury Souza e Lais Fiona. Enquanto Iury mostrou todo seu repertório ao nocautear o chileno Sebastian Martino, Lais se impôs para cima de Aylin Sobrino e venceu por decisão dividida após grande batalha. Felipe Diaz e Jacqueline Ayala foram outros vencedores da noite, que contou ainda com cinco lutas no Undercard.

WGP 54 – Resultados oficiais

A luta entre Cesar Almeida e Ivan Galaz terminou em empate

Victor Valenzuela venceu Ravy Brunow por decisão unânime
Patricio Navarrete venceu Nicolas Ryske por nocaute no primeiro round
Facu Suarez venceu Felipe Artillero por decisão unânime
Victor Valenzuela venceu Joans Lorca por nocaute no segundo round
Ravy Brunow venceu Guillermo Benitez por nocaute no primeiro round

WGP SUPER FIGHTS

Lais Fiona venceu Aylin Sobrinho por decisão dividida

Jacqueline Ayala Aguilera venceu Marti Martinez por decisão unânime
Iury Souza venceu Sebastian Corral por nocaute no segundo round
Felipe Díaz venceu Maykon Brendel por decisão unânime

WGP UNDERCARD

Joaquin Morales venceu Emilio Venegas por decisão unânime

Cristian Barraz venceu Julio Jara por decisão unânime
Kevin Briones venceu Cristobal Bristeño por nocaute no segundo round
Jakob Von Senger venceu Arturo Vergara por nocaute no terceiro round
Nelson Rojas venceu Matias Magna por decisão unânime