faaace

A primeira edição do WGP Kickboxing em território chileno vem dando o que falar. O evento de número 54, que acontece nesta sexta-feira, dia 24 de maio, promete estremecer a capital Santiago com um card eletrizante. Entre as estrelas da noite se destacam os protagonistas da luta principal, o chileno e desafiante Ivan Galaz diante do campeão dos cruzadores (até 85.1kg) Cesinha Almeida. E o principal anfitrião falou sobre as expectativas para o duelo, a chance de conquistar o cinturão do WGP em sua divisão de peso original e em casa, diante de amigos e familiares.

Ser um dos protagonistas de uma edição do WGP Kickboxing não é tanta novidade para Galaz. O lutador de 34 anos, com participações no Glory, é nascido e criado na capital Santiago e soma cinco participações no evento, com duelos contra nomes importantes como Felipe Micheletti, quando disputou o título dos pesados e foi derrotado por unanimidade, e Alex Pereira, campeão do Glory e ex-detentor do título dos cruzadores do WGP. Galaz ainda derrotou Richard Jacobi, na edição 40 e conseguiu a chance de ser o desafiante categoria ao vencer o Challenger GP na edição 51 derrotando João Pedro Simão e Fábio Alberto. Ele soma na carreira um total de 70 lutas, com 61 vitórias e nove derrotas e chega pronto para encarar Cesinha Almeida em sua divisão de peso original.

 “Foi uma preparação difícil, muitas coisas foram mudadas da minha rotina. Mudei minha forma de treinar 100%, foi um camp muito bem desenvolvido. Trabalhamos para melhorar em todos os aspectos. Os 85kg sempre foram a minha categoria, onde me sinto mais confortável e mais forte. Mas os atletas são mais rápidos também. Apesar disso me sinto cada vez mais confortável nesta categoria e sem dúvida é onde tenho mais chances de ser campeão. Espero que seja agora”, confia.

Galaz já atuou diversas vezes em casa, mas ele não esconde que essa é sua maior luta em território chileno. E quem acha que o experiente lutador vê uma pressão a mais por isso se engana, ele quer apenas aproveitar a chance de levantar ainda mais a bandeira do kickboxing de seu país. E conta com a presença de diversos companheiros de equipe e conterrâneos no card para lhe ajudar nessa missão.

“É certamente minha luta mais importante no Chile, mais ainda lutar kickboxing no Chile. É uma grande responsabilidade, mas eu estou encarando com alegria. Estou feliz por ter essa chance, quero fazer história e que as portas do kickboxing chileno se abram para eles se mostrarem ao mundo. Espero que o público chileno se junte a nós e nos apoie. Precisamos mostrar o grande nível que o Chile tem”, garante.

Mas para concretizar o desejo de se tornar campeão em casa, Galaz tem uma verdadeira pedreira pela frente. O campeão Cesinha Almeida faz sua primeira defesa de título e o desafiante sabe das qualidades do rival brasileiro, que tem experiência de sobra no WGP.

“Cesinha é um atleta muito forte, cheio com qualidades e não é campeão a toa. Ele tem um estilo de luta muito parecido com o meu. O perigo é deixá-lo fazer a sua estratégia e tomar o ritmo do combate. Posso dizer que vou trabalhar duro para anular seu jogo. Apenas me concentrar em fazer meu trabalho, sem deixar campeão trabalhar”.

Por último, Galaz sabe que um possível Tito representaria muito mais que um cinturão para ele, mas sim o desenvolvimento de toda uma nação no meio do kickboxing. “Eu quero fazer história para o meu país, eu quero que os atletas chilenos se promovam, acreditem neles e se motivem sabendo que podem chegar a qualquer lugar com trabalho duro”, encerra.