faaace

A estreia do WGP Kickboxing em território chileno vem trazendo muitos ingredientes para edição 54, que acontece no próximo dia 24 de maio. Em uma noite com disputa de cinturão dos cruzadores entre Cesinha Almeida e Ivan Galaz, o que também anda chamando a atenção dos fãs é o Challenger GP dos super-médios, que garante ao vencedor uma chance pelo cinturão da categoria. E entre os participantes está um dos anfitriões da noite, o chileno Victor Valenzuela. Ele encara o uruguaio Diego Falero em uma das semifinais, enquanto do outro lado Ravy Brunow e Guillermo Benitez também medem forças. E o chileno falou sobre a chance de retornar ao evento para um novo Challenger GP e a oportunidade de atuar em casa, diante de amigos e familiares.

Aos 25 anos, Valenzuela é nascido e criado na capital Santiago. Pupilo de Ivan Galaz, protagonista da noite ao lado de Cesinha Almeida, Victor é conhecido pela sua velocidade. Na carreira, foram 29 duelos disputados e 20 triunfos. Ele já teve quatro participações no WGP, uma delas inclusive participando do Challenger GP da divisão quando chegou até a final e foi derrotado por Rodolfo Cavalo. Pouco mais de um anos depois de sua última aparição, o chileno retorno com outra cabeça e disposto a não desperdiçar a nova chance, dessa vez atuando em casa.

“Estou feliz de estar atuando no WGP novamente e ainda mais em um Challenger GP, que será realizado no meu país. Vou deixar tudo de mim em cada round. Dentro desse tempo que eu não lutei no WGP, percebi muitos erros que cometi na minha preparação para as lutas e tudo mais. Eu cresci bastante, principalmente na minha força mental. Acho que esse é o meu melhor momento fisicamente e psicologicamente”, afirma.

Ainda no início do ano, Victor resolveu tomar uma importante decisão de focar apenas na vida profissional, para se concentrar nos treinamentos. E promete uma versão diferente do que já foi visto no ringue do WGP. “A preparação tem sido muito dura, semana após semana de treinos para conseguir a minha melhor forma. Sinto que estou forte fisicamente e mentalmente, e como estamos a poucas semanas é só afinar os detalhes. Dessa vez fiz algo de diferente, me dediquei só aos treinos. Eu decidi dedicar o ano só para o esporte, sem grandes distrações, e agora minha cabeça está fixada 100% no dia 24 de maio. Vou chegar melhor e diferente”, garante.

O lutador falou ainda sobre os seus adversários na disputa pelo sonhado posto de desafiante ao título dos super-médios, recém conquistado por Jonas Salsicha. “Tenho estudado os outros três atletas, sei que todos são fortes e têm grandes qualidades para alguma coisa. No Chile sempre estamos prontos, nós duelamos com qualquer um e seguimos em frente sem ter que enfrentar nossa bandeira. Se eu for para a final penso que o rival é o mesmo, já que ambos são bons e eu vou estar pronto. Não vou dar um passo sequer atrás” confia para completar sobre a chance de se apresentar em casa.

“A primeira vez que o WGP chega ao Chile, o maior evento da América Latina e vem para o meu país. Isso é um sonho, eu vou lutar em casa em um dos maiores eventos do mundo. Estou feliz já que não há nada como lutar em casa. Sentir o apoio de todo o público te encorajando a continuar e ir para a vitória. Mais do que pressão, acho que é apoio extra ter eles do lado de fora. Sempre luto com o público contra e no dia 24 de maio o público estará a meu favor, me dando apoio e com minha família por perto. Sinto que não estou sozinho, estou toda minha família e meu país me dando apoio”, finaliza.