resultados-oficiais
Casa cheia e lutas eletrizantes foram a tônica do WGP 44, primeiro evento da temporada 2018 da maior organização de kickboxing da América Latina, que aconteceu sexta-feira (23/2), no Ginásio Adib Moysés Dib, em São Bernardo do Campo (SP). No main event, Bruno Gazani mostrou a regularidade característica, venceu Marcelo Dionísio por pontos e faturou o cinturão dos meio-médios (até 71.8kg).

Com apoio massivo da torcida (já que mora e treina em São Bernardo), Gazani aproveitou o ímpeto inicial para conectar socos e joelhadas contundentes, que rapidamente culminaram em knockdown. Mesmo atordoado, Dionísio mostrou garra para se manter no combate.

No terceiro assalto, Gazani diminuiu o ritmo e o adversário encaixou melhor a tática na média distância, equiparando ações. Mas o volume de golpes novamente fez a diferença nas duas últimas parciais, e o atleta do ABC paulista faturou a vitória por decisão unânime dos juízes. “Era questão de honra conquistar o título dentro de casa. Foi uma vitória da minha equipe (União ABC) e de todos que compareceram aqui. Esse cinturão nunca mais sairá de São Bernardo”, ressaltou o lutador.


Cerebral

Ex-lutador do UFC, Viscardi Andrade mostrou boa adaptação ao kickboxing no desafio contra o chileno Victor Valenzuela. Com movimentação consciente, o brasileiro aproveitou as brechas da postura mais estática do adversário para conectar golpes retos e chutes altos.

Valenzuela mostrou grande poder de absorção. Mesmo na defensiva, tentou surpreender com golpes plásticos, como chutes em gancho, por cobertura ou saltados. No fim, o paulista se impôs de forma mais eficiente e venceu por pontos. “Pelo menos quatro socos acertaram em cheio. Ele sentiu, mas se manteve vivo na luta. Isso valorizou ainda mais a vitória”, disse Viscardi.


Próximo da fila

Nas semifinais, Mateus Gatti e Robson ‘Minotinho’ despacharam Fabrizio Flamig e Antônio Luciano, respectivamente, por nocaute, e fizeram a grande decisão do Challenger GP meio-médio, que garante ao campeão a vaga como próximo desafiante ao título.

‘Minotinho’ logo começou a demolir as pernas do adversário com potentes low kicks (chutes baixos). Gatti apostou em encurtar a distância com uppercuts (socos debaixo para cima) e clinches pontuais para deter as investidas do adversário, mas seguiu golpeado sistematicamente nas coxas e no abdômen até desabar de vez no terceiro assalto.

Resultados oficiais

Card Principal

Bruno Gazani venceu Marcelo Dionísio por decisão unânime
Viscardi Andrade venceu Victor Valenzuela por decisão unânime
Emiliano Sordi venceu Alexandre Sagat por decisão dividida
Aline Pereira venceu Maysa Borges por decisão unânime
Diego Piovesan venceu Felipe ‘Artillero’ por decisão unânime
Eliezer Silva venceu Daniel Dias por decisão dividida

Challenger GP Final

Robson ‘Minotinho’ venceu Mateus Gatti por nocaute no terceiro assalto

Challenger GP Semifinais

Robson ‘Minotinho’ venceu Antônio Luciano por nocaute no primeiro round
Mateus Gatti venceu Fabrizio Flamig por nocaute no primeiro round

Undercard

Jonas Júlio venceu Kaio Modric por decisão unânime
Thiago Santos venceu Davison de Souza por nocaute
Emanoel Sousa venceu Raphael da Silva na decisão dividida
Bia Molina venceu Karina Teixeira por decisão unânime

Vinícius Barros venceu Leonardo ‘Buakaw’ por decisão unânime